Visão de sustentabilidade

As iniciativas de sustentabilidade do Citi estão plenamente incorporadas à maneira como o banco realiza seus negócios.

Elas abrangem esforços para reduzir o impacto ambiental de suas operações e estabelecem revisão criteriosa de eventuais resultados socioambientais de seus produtos e dos projetos os quais financia.

Compromissos globais

O Citi é signatário de uma série de pactos e compromissos que representam as demandas da sociedade no âmbito global, setorial ou em temas específicos, que vão além dos instrumentos regulatórios.

Em 2001 | O banco ingressou pela primeira vez no índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), sendo listado todos os anos desde então. No mesmo ano, o banco integrou também o FTSE4Good Index Series, de destaque em sustentabilidade, incluindo-se no índice britânico todos os anos subsequentes.

Em 2003 | O banco participou da criação dos Princípios do Equador e começou a responder ao Carbon Disclosure Project, o principal banco de dados mundial sobre emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Em 2008 | O Citi liderou a criação dos Carbon Principles.

Em 2013 | Com outros bancos de investimentos, o Citi anunciou seu suporte aos Green Bond Principles, orientação voluntária para os processos de desenvolvimento e emissão de títulos verdes.

Em 2014 | Passou a aplicar a versão III dos Princípios do Equador, que contempla um leque mais abrangente de produtos e novas análises de impactos socioambientais, como emissões de gases de efeito estufa.

Cidades sustentáveis

Em 2016, a Citi Foundation realizou um fórum que reuniu tomadores de decisão de instituições financeiras, representantes do setor privado e de governos de todo o mundo para incentivar colaborações que ajudem a acelerar e ampliar o investimento em soluções urbanas sustentáveis.

O evento fez parte da Iniciativa de Financiamento de cidades sustentáveis, liderada pela Citi Foudation, C40 e WRI, que tem como objetivo apoiar os governos locais no desenvolvimento de modelos de negócios que possam acelerar a implementação de soluções sustentáveis nos grandes centros urbanos.

Diversidade

A diversidade é um ponto estratégico do Citi. O banco valoriza a presença de características diversas e procura proporcionar um ambiente inclusivo, com igualdade de oportunidades para seus funcionários.

Os projetos da área estão divididos entre as seguintes linhas de inclusão: étnica, social, gênero, gerações, LGBTA e pessoas com deficiência.

Para fortalecer ainda mais a cultura da inclusão, o banco lançou, em 2016, um treinamento on-line sobre Viés Inconsciente, conjunto de estereótipos que as pessoas mantêm sobre diferentes grupos a partir de situações e experiências vivenciadas ao longo da vida e que influenciam a tomada de decisões.

O treinamento foi realizado por 4.032 funcionários (homens e mulheres).

Mulheres líderes

O banco começou também no último ano, um programa piloto na área de Markets & Securities Services para acelerar a evolução de carreira das mulheres e ampliar sua presença nos planos de sucessão e na alta liderança. A iniciativa focou a identificação do momento de carreira das mulheres dessa equipe, que é predominantemente composta por homens, e na realização de atividades de desenvolvimento adequadas a esse momento.

Pessoas com deficiência (PcD)

O Citi Brasil desenvolve projetos, por iniciativa própria ou em conjunto com entidades parceiras para a inclusão das Pessoas com Deficiência (PcD) nas atividades do banco. Até agosto de 2016, são 267 pessoas com diversos tipos de deficiência atuando no Citi. Muitos desses profissionais foram desenvolvidos com cursos de capacitação e orientação de carreira, participam de focus Group para colaborar no aprimoramento dos programas e contam com tecnologia assistiva, cursos de Libras e a disponibilização de intérpretes de sinais para todo o banco.

Além das iniciativas próprias, o Citi também participa do Programa de Capacitação Profissional e Inclusão de Pessoas com Deficiência da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que promove a capacitação em matemática, contabilidade, finanças e outros temas, como ética e etiqueta empresarial. Em 2013, o programa teve a participação de 50 PcD em Belo Horizonte, primeira atuação fora de São Paulo. Dos 50 alunos, cinco foram contratados pelo Citi.